Industry News

Nova previsão de reabertura do Parque Mutirama passa a ser outubro de 2018, em Goiânia

rque Mutirama, que está fechado há quase um ano, não estará funcionando durante as férias de julho de 2018 e teve a previsão de reabertura adiada para outubro do mesmo ano, em Goiânia. Após licitação, três companhias foram contratadas e gasto total estimado com reparos é de R$ 2 milhões. Um parque de diversões itinerante consultou a adminsitração do local para montar os brinqudos no estacionamento do espaço durante as férias, mas gestão aguarda análise do pedido.

A última previsão é que o parque seria reaberto na segunda quinzena de abril deste ano. No entanto, conforme a Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer, de Goiânia (Agetul), responsável pelo local, a Procuradoria-Geral do Município e pela Controladoria-Geral do Município recomendaram que empresas especializadas fossem contratadas para o serviço.

G1 entrou em contato com os órgãos, por e-mail, às 17h55 deste domingo (1º) e aguarda retorno.


Brinquedos do Parque Mutirama continuam desmontados (Foto: Bruno Brandão/Arquivo pessoal) Brinquedos do Parque Mutirama continuam desmontados (Foto: Bruno Brandão/Arquivo pessoal)

Brinquedos do Parque Mutirama continuam desmontados (Foto: Bruno Brandão/Arquivo pessoal)

Gestor do parque, Frank Fraga explicou que uma companhia de parque de diversões havia pedido para usar o espaço do estacionamento do Mutirama para montar brinquedos no local. O órgão consultou os órgãos reguladores sobre a possibilidade de ceder o espaço, para que houvesse um espaço de lazer provisório na região durante as férias. A resposta, segundo Frank, deve ser dada na segunda-feira (2).

“Fomos procurados por representante de um parque manifestando interessa de instalar parque o estacionamento durante as férias. [...] Estabelecemos critérios, caso liberassem, que fosse obedecido valor do Parque Mutirama. Não divulgamos nada porque precisamos desse parecer”, detalhou.

 

Demora na manutenção

 

Presidente da Agetul, Alexandre Magalhães disse que os atrasos ocorreram devido a burocracias. Segundo ele, os trabalhos das empresas responsáveis devem começar nos próximos 10 dias e serão vistoriados por três especialistas contratos recentemente pela Prefeitura de Goiânia: um engenheiro civil, um engenheiro mecânico e um engenheiro eletricista.

“Em questão de segurança, essas empresas são de notória especialidade, já tem essa experiência. Vamos usar um protocolo de manutenção diferenciado. [...] Talvez esse preço um pouco mais caro represente segurança, que não tem preço”, afirmou.


Equipes trabalham em perícia e manutenção dos brinquedos do Parque Mutirama (Foto: Vanessa Martins/G1) Equipes trabalham em perícia e manutenção dos brinquedos do Parque Mutirama (Foto: Vanessa Martins/G1)

Equipes trabalham em perícia e manutenção dos brinquedos do Parque Mutirama (Foto: Vanessa Martins/G1)

Alexandre contou ainda que, além da manutenção dos brinquedos, já foram solicitadas as catracas eletrônicas, que serão instaladas no Mutirama, com de evitar fraudes. Após todos os reparos, “a previsão é abrir o parque até 12 ou 24 de outubro”.

Em março deste ano, a gestão do Mutirama havia previsto R$ 300 mil a serem gastos com compra de peças. Segundo Frank Fraga, gestor do local, as primeiras licitações foram “desertas”, ou seja, sem empresas interessadas. Com a contratação das três empresas por cerca de R$ 2 milhões, as peças necessárias, mão de obra e todos os custos estão dentro do pacote.

 

Acidente e perícia

 

O espaço está fechado desde 26 de julho de 2017, quando 13 pessoas ficaram feridas após um acidente com o brinquedo Twister. O equipamento apresentou uma falha e o eixo dele se rompeu. Um laudo apontou que o brinquedo não poderia estar em funcionamento e que o problema se deu devido a um "processo de fadiga". Além disso, conforme o estudo, em 2011, foi constatada uma fissura de 10,8 centímetros na peça, mas nenhuma ação foi tomada no sentido de repará-la.

Após investigações, a Polícia Civil indiciou, por crime de lesão corporal, o ex-engenheiro do parque, José Alfredo Rosendo, o presidente da Agetul, Alexandre Magalhães, e o supervisor do parque, Wanderley Alves Siqueira. Na época, a reportagem não conseguiu contato com as defesas deles.


Peritos retiraram o eixo do Twister do Parque Mutirama (Foto: Thais Luquese/ TV Anhanguera) Peritos retiraram o eixo do Twister do Parque Mutirama (Foto: Thais Luquese/ TV Anhanguera)

Peritos retiraram o eixo do Twister do Parque Mutirama (Foto: Thais Luquese/ TV Anhanguera)

Conforme a assessoria da presidência da Agetul, o brinquedo Twister está sendo removido do Parque Mutirama e não será mais uma das atrações do local. Ainda está sendo avaliado qual equipamento irá substituí-lo.

Uma empresa contratada com dispensa de licitação recebeu R$ 298 mil e realizou a perícia de todos os brinquedos do Mutirama. Conforme a própria gestão do parque, todas as 27 atrações precisam de algum reparo.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
https://g1.globo.com/go/goias/noticia/nova-previsao-de-reabertura-do-parque-mutirama-passa-a-ser-outubro-de-2018-em-goiania.ghtml